segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Cerveja + massa? Claro que pode!!!

Depois desse incrível tour pela Itália resolvi entrar um pouco mais no nosso clima tropical, que combina demais com uma cervejinha gelada né?!
Então, como já disse aqui antes, a cerveja combina com muitas coisas inclusive com as massas da culinária italiana, mesmo porque existem muitas cervejas produzidas na terrinha das massas.
Aqui vão alguns exemplos de cervejas que harmonizam perfeitamente com as massas:
Molhos mais pesados, como ragús, ficam perfeitas com cervejas do tipo Strong Ale.
Spaghetti alla bolognese

+
Baladin Super (Tarantino), produzida em Piemonte

Já as massas que levam molhos mais condimentados, com sabores mais marcantes casam com cervejas white beer, que trazem refrescância e não interferem no sabor do molho.
Spaghetti alla puttanesca

+
Duan Bianca

As massas com sabores mais suaves pedem cervejas com toques adocicados.
Ravioli de abóbora na manteiga

+
Baladin Nora

Beijinhos

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Sardenha

Uma ilha encantada, o mar tem uma cor indescritível, sem dúvida alguma é o lugar mais lindo e romântico que existe.

Prometi pra mim mesma que só voltaria lá se achasse uma pessoa realmente especial, pois a magia e os encantos da ilha merecem ser visitados por pessoas apaixonadas, que irão se maravilhar a cada pedaço descoberto.
Resolvi falar um pouco mais dessa região porque vale muito a pena, os sabores de lá estão presentes até hoje no meu paladar. O deck com o céu estrelado, com o som de um piano ao fundo foram o cenário ideal para o melhor risoto de camarão que já comi na minha vida, só de lembrar me dá arrepios!
Enfim, sei que cada um tem o seu cantinho especial, para mim a Sardenha é esse, mais especificamente em Porto Cervo.  
A ilha fica rodeada pelo Mar Mediterrâneo, sofreu muitas invasões. Foi dominada por espanhóis, árabes e romanos, o que influenciou muito na culinária local.
A Sardenha está dividida nas seguintes províncias: Caligari, Sassari, Nuoro, Oristano, Olbia-Tempio, Ogliastra, Carbonia-Iglesias e Medio Campidano.

Sua culinária é farta em peixes e frutos do mar, que vêem do mar, já das montanhas saem ótimos queijos pecorinos, um dos melhores produzidos em todo o país, bem como os caprinos e suínos.
Um produto em especial é muito consumido na Sardenha, a bottarga, ovas de peixe, daí a minha sugestão de antipasti, uma bruschetta com burrata e fatias de bottarga, com pão italiano grelhado, folhas de alecrim fresco e regada com azeite extra-virgem:

O prato principal tem que ser a massa mais característica de lá, culurgiones alla campidanese, um tipo de ravióli gigante.
Culurgiones alla Campidanese

Ingredientes: (4 pessoas)
800g de farinha 00
4 ovos
Sal
Água
12 batatas, cozidas e espremidas
600g de queijo pecorino, ralado
6 ramos de hortelã fresca, picada
1kg de tomate pelado
500g de lingüiça fresca
1 cebola
Azeite extra-virgem
Preparo:
1.    Pique a cebola, coloque em uma panela, adicione ½ xícara de chá de azeite e leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até ficar transparente.

2.    Retire a pele da lingüiça e esfarele o recheio, coloque na panela com a cebola e deixe fritar bem, em fogo baixo, até ficar bem fritinha, mexendo de vez enquando.

3.    Enquanto isso faça a massa, coloque a farinha em uma tigela grande, faça um buraco no meio e quebre 2 ovos. Misture com as mãos e vá colocando água aos poucos, até formar uma massa lisa e úmida.

4.    Deixe descansar, abra com um rolo até ficar bem fininha e coloque em um lugar enfarinhado, separado.

5.    Faça o recheio, em uma tigela coloque a batata amassada, sal, a hortelã, 300g de queijo pecorino e 2 ovos, misture tudo muito bem.

6.    Passe o tomate pelado por uma peneira e adicione na panela da lingüiça, tempere com sal, misture bem. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo baixo até o óleo subir à superfície. Desligue o fogo.

7.    Corte a massa com um aro de arame redondo, coloque um pouco de recheio e, com as mãos faça os culurgiones.

8.    Coloque bastante água em uma panela grande e alta, tempere com sal e leve ao fogo alto para ferver. Coloque os culurgiones e deixe cozinhar por 8 minutos, mais ou menos.

9.    Enquanto isso, esquente o molho. Com uma escumadeira, retire um por um, os culurgiones da panela e vá colocando na travessa, regue com o molho fervente e salpique o restante de pecorino ralado.

10.                      Sirva em seguida.

Para acompanhar nosso jantar sardo, um vinho bem típico da região é o fabricado com as uvas vermentino.
Um vinho branco seco e fresco, ideal para harmonizar com peixes, frutos do mar e massas leves. A massa apesar da lingüiça não é muito pesada.
Um ótimo exemplar desse tipo de vinho a venda no Brasil é o Tenute Sella e Mosca:

Este vinho deve ser consumido jovem, para não perder o seu frescor.
Beijinhos

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Sicília

A bela ilha de águas cristalinas, famosa por suas paisagens encantadoras.

Completamente circundada pelo Mar Mediterrâneo, o cheiro de maresia é constante.
A Sicília é uma região a parte da Itália, que foi influenciada por varias culturas diferentes, devido à sua posição estratégica sofreu muitas invasões de outros povos até ser totalmente dominada pelos italianos.
Suas províncias são: Agrigento, Caltanissetta, Catania, Enna, Palermo, Messina, Ragusa, Siracusa e Trapani.  

Devido a região litorânea o peixe e fruto do mar são muito consumidos, bem como a pimenta, que veio de lá e está presente em quase todos os pratos da região.
Do mar, o peixe espada e o atum são os mais comuns e, graças ao solo fértil do vulcão Etna, a agricultura é privilegiada com tomates, alcaparras, azeitonas, azeites, berinjelas, laranjas e o conhecido limão-siciliano.
O queijo produzido na região é a ricota, todos os pratos são feitos e finalizados com ela. Nada de queijo parmesão, apenas ricota!
Para darmos início ao nosso jantar siciliano, um antepasto conhecido no mundo todo a caponata, leve e saudável, acompanhada de azeite e fatias de pão italiano.
Caponata

Ingredientes: (4 pessoas)
1kg de berinjela
3 colheres de sopa de alcaparra
500g de tomate
2 cebolas
60g de pinoli
50g de açúcar cristal
200g de azeitonas verdes
600g de alho poro
1 maço de manjericão
Sal grosso
Azeite extra-virgem
½ copo de vinagre de vinho tinto
Preparo:
1.    Corte as berinjelas em cubos grandes, coloque em um escorredor. Salpique sal grosso, cubra com um prato, que caiba dentro do escorredor, aperte e deixe o escorredor dentro de uma tigela, coloque um peso sobre o prato e deixe por 30 minutos para escorrer o amargo da berinjela.

2.    Pique a cebola e o alho poro, coloque bastante azeite em uma panela e refogue em fogo baixo, mexendo sempre até ficar transparente.

3.    Adicione a alcaparra, o pinoli e as azeitonas, sem caroço e picadas, mexa por 3 minutos. Junte o tomate, sem sementes, picado e refogue em fogo baixo mais 10 minutos. Desligue o fogo e reserve.

4.    Em uma frigideira grande e alta, coloque bastante azeite e frite a berinjela até ficar bem murcha.

5.    Coloque a berinjela, já murchinha e quase dourada na panela do tomate, ligue o fogo baixo e misture tudo por 3 minutos.

6.    Misture o vinagre com o açúcar e regue a panela, ainda com o fogo baixo. Salpique o manjericão picado e misture até o liquido secar quase todo.

7.    Coloque a caponata em uma vasilha com tampa, deixe esfriar e leve à geladeira até a hora de servir.

A caponata é muito comum na Sicília, e cada província faz da sua maneira, esta é apenas um jeito de fazer, a base é sempre a berinjela, tem quem coloque pimentão, uva passa... enfim a partir daí existem muitas versões.

Outro aperitivo muito comum é o arancini, que é um tipo de bolinho de risoto delicioso.
Arancini

Ingredientes: (4 pessoas)
50g de lingüiça moída
80g de ervilha fresca, cozida
150g de queijo provolone fresco, picado
Pimenta-do-reino, moída na hora
Azeite extra-virgem
40g de extrato de tomate
100ml de vinho tinto seco
½ cebola
55g de manteiga
500g de arroz canaroli
3 gemas
1 colher de café de açafrão
Sal
100g de queijo parmesão ralado na hora
2 ovos
Farinha de pão
Óleo para fritar
Preparo:
1.    Em uma panela grande coloque 1 litro e 200ml de água e leve ao fogo alto para ferver. Adicione o arroz caneroli, tempere com sal e deixe cozinhar até secar a água.

2.    Em uma outra panela, coloque 25g de manteiga, um pouco de azeite e leve ao fogo baixo até derreter a manteiga. Adicione a cebola e mexa até ficar transparente.

3.    Junte a lingüiça e frite até ficar bem dourada. Regue o vinho tinto e mexa até secar.  

4.    Dissolva o extrato de tomate em ½ copo de água e adicione na panela da lingüiça, e deixe cozinhar em fogo baixo, tampado e mexendo de vez enquando por 15 minutos.

5.    Quando o arroz estiver quase absorvido toda a água, junte o restante da manteiga, e misture em fogo baixo até derreter toda a manteiga.

6.    Adicione o açafrão, misture bem, depois junte as gemas de ovo, misture e por último o queijo parmesão ralado, misture em fogo ainda baixo até derreter todo o queijo. Desligue e reserve para esfriar.

7.    Assim que a lingüiça secar o liquido, adicione a ervilha e misture bem. Reserve.

8.    Quebre os 2 ovos em uma vasilha, tempere com sal e pimenta e bata com um garfo.

9.    Com as mãos, pegue um pouco da massa de arroz, aperte, no meio da massa coloque um pouco do refogado de lingüiça e um pouco de queijo, cubra com mais massa de arroz e enrole formando uma bola.

10.                      Repita a operação até acabar os ingredientes.

11.                      Passe os bolinhos no ovo batido e empane na farinha de pão, repita em todos os bolinhos.

12.                      Em uma frigideira alta, coloque bastante óleo, leve ao fogo alto para esquentar, quando estiver bem quente frite os bolinhos, aos poucos e escorra em papel toalha.

13.                      Coloque em uma travessa e sirva em seguida.

Não é só em Gênova que se faz pesto e, para continuar nosso jantar sugiro um pesto típico dessa região, o pesto siciliano.
Penne al pesto siciliano

Ingredientes: (4 pessoas)
1 pacote de penne
1 maço de manjericão
100g de queijo parmesão ralado
150g de ricota, esfarelada
500g de tomate, sem sementes, picado em cubos
50g de pinoli
2 dentes de alho, espremidos
Sal
Pimenta-do-reino, moída na hora
100ml de azeite extra-virgem
Preparo:
1.    Coloque água em uma panela alta e grande, tempere com sal e leve ao fogo alto para ferver. Assim que ferver, coloque o penne e deixe cozinhar por 10 minutos.

2.    Enquanto isso, coloque o tomate, o alho, o queijo parmesão, a ricota, o pinoli, o azeite, o manjericão, o sal e a pimenta-do-reino no multiprocessador, bata até picar tudo mas não deixe virar uma pasta.

3.    Coloque o molho do multiprocessador na travessa, adicione 1 concha da água fervente, que cozinhou o penne. Escorra o penne, passe por água fria e coloque na travessa, misture tudo sem parar até o molho incorporar bem na massa.

4.    Sirva em seguida.
Para harmonizar com o nosso jantar, nada como um vinho típico da Sicília.
Minha sugestão é um vinho da uva Grillo, uma uva cultivada por lá que gera um vinho branco seco e bem equilibrado.
Um grande exemplo a venda no Brasil é o Grillo Parlante do Fondo Antico:

Muito saboroso, este vinho cai bem com pratos leves e suaves.
Beijinhos

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Calábria

O ninho das antigas civilizações, o lugar que deu origem toda a península, sendo que antigamente Itália era o nome da Calábria para homenagear seu rei Italo.

Entre o Mar Jônico e o Mar Tirreno, essa região é particularmente incrível, pois convive com mar e montanha, oferecendo aos seus visitantes paisagens maravilhosas imersas em uma cultura milenar.
Suas províncias são: Catanzaro, Cosenza, Crotone, Reggio Calabria e Vibo Valentia.

Devido a região litorânea o peixe e fruto do mar são muito consumidos, bem como a pimenta, que veio de lá e está presente em quase todos os pratos da região.
O porco também é muito consumido, bem como o pão que não pode faltar em nenhuma refeição.
Para darmos início ao nosso jantar calabrês, nada como um antipasto típico e famoso pelo mundo todo, a sardella uma espécie de pasta para ser consumida com pão, feita com sardinha, tomate e pimenta:

Outro aperitivo que cai como uma luva é a lingüiça calabresa apimentada, esta apenas grelhada e servida com palitinhos:

Continuando nosso jantar, sugiro para o prato principal a pasta al forno con polpettine di carne, os pratos ao forno são muito encontrados por lá.
Pasta al forno con polpettine di carne

Ingredientes: (4 pessoas)
500g de massa para lasanha pré-cozida
800g de tomate pelado
150g de lombo de porco, moído
150g de vitela moída
100g de lingüiça calabresa apimentada, moída
4 ovos
2 dentes de alho
1 colher de sopa de orégano
6 colheres de sopa de azeite extra virgem
200g de queijo pecorino, ralado
1 xícara de chá de leite
1 xícara de chá de água
Sal
Azeite para refogar
Preparo:
1.    Em uma vasilha coloque o lombo moído, a vitela, a lingüiça, 1 ovo, o orégano, o alho espremido e tempere com sal. Misture tudo muito bem, com as mãos e modele pequenos polpettines.

2.    Em uma frigideira, coloque um poço de azeite e frite os polpettines, aos poucos, dourando de todos os lados. Escorra em papel toalha e reserve.

3.    Passe o tomate pelado pela peneira, coloque em uma panela com o azeite extravirgem, o leite e a água tempere com sal e ligue o fogo baixo, mexendo de vez enquando até o óleo subir à superfície.

4.    Separe metade do molho e coloque os polpettines fritos na panela com o restante de molho, ligue o fogo baixo, tampe a panela e deixe cozinhar por 5 minutos, se precisar coloque um pouco de água.

5.    Em outra panela, coloque água e cozinhe os outros ovos. Descasque e corte em rodelas.

6.    Ligue o forno a 200°C.

7.    Unte uma travessa com azeite, coloque o molho com polpettine, espalhe por cima as rodelas de ovo cozido. Cubra com camadas de massa de lasanha e molho al sugo, terminando com o molho. Salpique o queijo pecorino ralado por cima e leve ao forno para gratinar.

8.    Sirva em seguida.
O Cirò é o vinho da Calábria que conquistou o mundo. É considerado o Barolo do Sul da Itália.
Ele é produzido na versão branco, rose e tinto. Cada um com a sua característica.
Como nosso jantar é mais pesado, recomendo o Cirò Riserva Duca San Felice DOC 2005:

Um vinho tinto seco e delicado mas com aroma intenso, perfeito para o nosso jantar condimentado.
Beijinhos

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Puglia

O salto da bota, uma região pouco conhecida pelos turistas, mas belíssima.

Faz fronteira com o Mar Adriático e o Mar Jônico, suas águas cristalinas encantam.

As províncias de lá são: Bari,  Brindisi, Foggia, Lecce e Taranto.
Além dos atributos de beleza, Puglia tem muitos outros, inclusive na culinária. Fazem pães de primeira, e a produção agrícola de oliveiras e de trigo ocupam o primeiro lugar no país.
Para darmos início ao nosso jantar um queijo típico e muito saboroso, a burrata, que regada com um excelente azeite extra virgem e acompanhada de uma ciabatta quentinha derrete na boca:

Devido à divisa com os mares a culinária é muito farta com peixes e frutos do mar, e a massa fresca com um formato característico e muito conhecido o orecchiette. Existem famílias inteiras que se dedicam apenas a confeccionar essa massa espalhadas por toda a Puglia.
Para o nosso jantar um prato leve e muito saboroso, o orecchiette com rúcula, tomatinho cereja, alho e azeite de oliva.
Orecchiette com rúcula e tomate cereja

Ingredientes: (4 pessoas)
100ml de azeite extra virgem
1 maço de rúcula
2 dentes de alho, picados
20 tomates cereja, cortados ao meio
Sal
Pimenta-do-reino, moída na hora
1 pacote de orecchiette
Preparo:
1.    Lave e pique as folhas de rúcula.

2.    Em uma frigideira grande e alta, coloque o azeite, o alho, a rúcula e o tomate cereja. Leve ao fogo baixo, salteando até o alho começar a dourar. Desligue a panela e reserve.

3.    Enquanto isso, coloque bastante água em uma panela alta, tempere com sal e leve ao fogo alto até ferver. Coloque o orecchiette, mexendo com um garfo próprio para massa até ficar pré-cozido, mais ou menos 8 minutos. Escorra e reserve.

4.    Ligue o fogo da frigideira, adicione 1 concha da água que cozinhou o orecchiette, junte a massa, tempere com sal e pimenta e salteie, por 5 minutos, em fogo baixo. Até quase secar o liquido.

5.    Coloque o orecchiette na travessa e sirva em seguida.
Puglia também é considerada uma das melhores regiões vinícolas da Itália. Os mais conhecidos são os Primitivo di Manduria e Salice Salentino.
Minha sugestão para acompanhar nosso jantar de hoje é o Primitivo di Manduria DOC Ognissole:

Vem da uva primitivo, um vinho fresco e equilibrado, fácil de tomar. Além de massas harmoniza perfeitamente com pato, cordeiro e pratos cítricos.
Beijinhos

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Basilicata

Também conhecida como Lucânia, essa região ao Sul do país é composta por muitos campos e montanhas.

Com apenas duas províncias Matera e Potenza, com várias cidades e aldeias.

Pouco conhecida pelos turistas, a região é famosa em cenários de casamentos por todo o mundo.
Sua culinária também é muito importante, contendo produtos particulares que ganharam o paladar de todos.
É o caso do queijo caciocavallo, um tipo de provolone mais suave, que é a minha opção de antipasto para o nosso jantar alla Basilicata:

Para o nosso prato principal minha sugestão é o strascinati al ragù di salsiccia, o strascinati e o capunti são duas massas frescas, com formatos bem particulares, próprios da região e a carne de porco é muito consumida por lá também.
Strascinati al ragù di salsiccia

Ingredientes: (4 pessoas)
500g de lingüiça fresca
1 cenoura
1 cebola
1 alho poró
2 colheres de sopa de extrato de tomate
¼ de xícara de chá de leite
½ xícara de chá de água
Sal
Pimenta-do-reino, moída na hora
Azeite extra virgem
1 pacote de strascinati
Preparo:
1.    Retire a pele da lingüiça e pique grosseiramente.

2.    Coloque a cebola, a cenoura e o alho poro no multiprocessador, bata até picar tudo muito bem.

3.    Em uma frigideira larga e alta, coloque bastante azeite, adicione os legumes do multiprocessador e mexa em fogo baixo até começar a dourar.

4.    Junte a lingüiça picada e frite, em fogo baixo, mexendo sempre até ela ficar bem fritinha.

5.    Adicione o extrato de tomate, o sal e a pimenta, mexa bem. Regue o leite e a água, misture, tampe e deixe cozinhar em fogo baixo até o óleo subir à superfície. Reserve.

6.    Enquanto isso, coloque bastante água em uma panela alta, tempere com sal e leve ao fogo alto até ferver. Coloque o strascinati, mexendo com um garfo próprio para massa até ficar pré-cozido, mais ou menos 8 minutos. Escorra e reserve.

7.    Ligue o fogo da frigideira, adicione 1 concha da água que cozinhou o strascinati, junte a massa e salteie, por 5 minutos, em fogo baixo.

8.    Coloque o strascinati na travessa e sirva em seguida.
A uva característica da região é a Aglianico, que é plantada desde o século VIII A.C., ela se desenvolveu muito bem, principalmente nos terrenos vulcânicos, na Colina de Vulture.
Daí o nome do vinho típico da Basilicata, o Aglianico Del Volture.
Minha sugestão para harmonizar com o nosso jantar é o Aglianico Del Volture Titolo DOC:

Um vinho tinto seco e elegante, fácil de tomar e combina muito bem com as massas e queijos de sabores mais fortes, bem como as carnes vermelhas, de cabra e de porco.
Beijinhos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...